Chile produz tanta energia solar que distribui eletricidade de graça

No Brasil, a rede de energia solar ainda está se desenvolvendo, mas não se pode dizer o mesmo sobre o Chile. Com a extensão da indústria solar e o crescimento rápido do país, o governo chileno tem fornecido energia gratuita (ou bem próximo disso) para a população.

Graças ao sistema que conta com duas grandes redes de energia principais (a Central e a do Norte) o Chile registrou neste ano 113 dias nos quais a conta de energia elétrica chegou a ficar zerada em diversas regiões do país, este número promete superar o ano de 2015, quando 193 dias contaram com as contas zeradas.

Mesmo que a notícia seja muito boa para os consumidores e para a sustentabilidade, Rafael Mateo, CEO da unidade de energia da Acciona, explica que as usinas de energia não receberam bem a notícia, pois desta forma o retorno financeiro não chega e a dificuldade para encontrar investidores aumenta.

Rafael ainda afirmou em entrevista ao site da Bloomber, que o crescimento desordenado do setor, fez com que diversas empresas fossem criadas em um mesmo lugar. No deserto do Atacama acontece a pior situação do país, onde a crescente demanda por eletricidade, impulsionada pela expansão da produção mineira e pelo crescimento econômico, ajudou a estimular o desenvolvimento de 29 parques solares, e outros 15 estão nos planos para a rede central de energia do país.

Segundo a operadora da rede central chilena, o problema acontece porque as duas redes de energia principais, a central e a do norte, não possuem conexão entre si, o que causa desorganização e registra falhas no sistema de energia (no qual algumas regiões atingem o nível de gratuidade, enquanto outras não possuem estrutura para captar essa tecnologia). Isso faz com que o país tema as consequências no desenvolvimento de novos parques solares e outros projetos.

O governo chileno, está trabalhando para corrigir este problema, os planos são de construir uma terceira linha de transmissão para ligar as duas redes até 2017. Além disso, está sendo desenvolvida uma linha de 753 quilômetros para aliviar os problemas de congestionamento em alguns pontos da rede central.

COMPARTILHAR
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email