O que é arquitetura de projetos industriais e como entrar nesse mercado?

arquitetura de projetos industriais

 Com o passar dos anos e a evolução da sociedade, a arquitetura sofreu inúmeras alterações. Basta imaginar que cada um dos diferentes estilos e tendências artísticas influenciaram essa área. E o mesmo ocorreu com a arquitetura de projetos industriais.

Apesar de muitas pessoas ainda associarem esse nicho da arquitetura com construções sóbrias e com formato retangular, nos últimos tempos os projetos industriais também se modernizaram e estão cada vez mais interessantes. Afinal, já conseguem combinar a funcionalidade, característica essencial da área, com a estética.

Porém, o caminho até aqui não foi fácil e os profissionais passaram por adaptações constantes para se manterem inseridos no mercado. Quer saber mais sobre o assunto? A seguir você descobre o que é a arquitetura de projetos industriais e ainda vai conferir uma linha do tempo contando um pouco da história dessa vertente da arquitetura.

 

O que é a arquitetura de projetos industriais?

A arquitetura de projetos industriais é o resultado da industrialização e mecanização que ocorreram em nível mundial, devido a Revolução Industrial. Durante a segunda metade do século XVIII, ocorreu um grande avanço tecnológico e a produção industrial ganhou força. Com isso, surgiu a arquitetura de projetos industriais: um nicho da arquitetura voltado para a elaboração de projetos para indústrias e fábricas

Existe uma grande variação de tipos de construções industriais, como refinarias, instalações de fabricação, usinas, armazéns, hangares, entre outros. Sendo que, boa parte delas ainda possui estruturas básicas, com linhas retas, característica herdada do estilo moderno.

Exemplos como esses podem ser encontrados em todos os países e, geralmente, ficam afastados das regiões centrais, se agrupando em áreas conhecidas como “parque industrial” ou derivados. Porém, de uns tempos para cá, os profissionais da área têm buscado novas referências no mercado, projetando prédios cada vez mais modernos.

 

Linha do tempo: a evolução da arquitetura de projetos industriais

 

Antes de 1800

Antes da Revolução Industrial, a arquitetura tinha características ornamentais. Afinal, as construções realizadas na época eram basicamente para igrejas, para o serviço militar e para moradias.

 

Século XIX

Com a evolução tecnológica que causou a Revolução Industrial, as construções sofreram alterações estéticas. Novas necessidades surgiram e, com elas, novas técnicas. Os profissionais da época, inclusive, tiveram que se adaptar não somente a realizar projetos para indústrias, mas também para residências dos operários, um público completamente diferente.

A época deu início às plantas simples e aos projetos retangulares. Dentre os materiais mais utilizados, se destacavam:

 

     Tijolos;

     Pedras;

     Telhados de madeira;

     Paredes internas de gesso.

 

Início do século XX

O século XX é conhecido como o auge da arquitetura industrial, devido aos novos designs que surgiram na época. Nesse período, os profissionais buscavam realizar projetos alinhados com a identidade visual da empresa em questão, mas mantendo a funcionalidade do espaço. Afinal, o mais importante era que os ambientes estivessem de acordo com as atividades realizadas no local. Com relação aos materiais mais utilizados nas construções, se destacavam o metal e o concreto.


1945 – pós-Segunda Guerra Mundial

Após a Segunda Guerra Mundial, a estética voltou a ter menos espaço na arquitetura de projetos industriais. Umas das razões para isso foram os valores dos projetos. Com a guerra, as empresas tinham dificuldade para investir em projetos mais elaborados, dando preferência para opções simples e baratas. Com isso, a arquitetura perdeu espaço e soluções pré-fabricadas passaram a ser utilizadas com maior frequência.

 

1990

O cenário só voltou a mudar a partir da década de 1990, quando as construções voltaram a ter uma preocupação estética maior. Além disso, a arquitetura de projetos industriais passou a levar em consideração o bem-estar dos funcionários, buscando soluções para mantê-los confortáveis dentro do espaço de trabalho.


Atualmente

Nos últimos tempos, podemos citar dois aspectos importantes da arquitetura industrial. A primeira delas é o fato de que os projetos dessa área têm servido de inspiração para espaços comerciais, lofts e até mesmo residências. E a segunda é o número crescente de construções do meio que tem utilizado a arquitetura bioclimática.

Com isso, independente do tamanho, os projetos têm como foco o respeito à natureza e sociedade. Novas soluções surgiram com o objetivo de utilizar os recursos naturais de forma inteligente e eficaz. Esse é o caso, por exemplo, da iluminação natural e ventilação higiênica, que aproveitam a luz solar e o arexterior, recursos gratuitos e inesgotáveis.

 

Qual é o papel do arquiteto?

O uso irresponsável dos recursos naturais é uma das grandes preocupações da sociedade atualmente. Sendo assim, é papel do arquiteto encontrar as melhores soluções para que o design seja funcional para a empresa e, ao mesmo tempo, sustentável. Ou seja, seu objetivo é contribuir para o desenvolvimento da indústria, sempre respeitando o meio ambiente e a comunidade.

Para que isso seja possível, várias questões precisam ser levadas em consideração, como:

     Terreno;

     Condições climáticas;

     Ventilação;

     Iluminação;

     Segurança;

     Conforto;

     Fluxo de pessoas e máquinas.

 

Ou seja, a arquitetura de projetos industriais praticada atualmente é a prova de que é possível manter a praticidade e eficiência, conferindo um toque de elegância às construções. Sem deixar de lado, é claro, soluções para garantir que o negócio tenha um desenvolvimento sustentável. Podendo, como consequência, se destacar no mercado ao se tornar uma empresa ESG (Environment, Social and Government) e até mesmo conquistar a certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design).

 

Quer saber mais sobre soluções sustentáveis e estar sempre por dentro de todas as novidades da área? Clique aqui e confira!

COMPARTILHAR
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email